sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Autómaten

Que alimento coincidirá com essa fome?
Que pergunta moverá esse desejo?
Que cor alegrará esses olhos?
Que roupa traduzirá esse ânimo?
Que amigo acolherá esse riso?
Que noites engolirão essa ânsia?
Que lugar abrigará essa certeza?
Que amante escutará esse silêncio?
Que pássaros suplantarão esse grito?
Que autômato governaria a palavra?
Que serei eu?

Um comentário:

Maninha disse...

Lindo demais! Quisera ter memória para guardar estes poemas e dizê-los ou repensá-los nas horas que a cabeça não aguenta mais pensar...
beijos
Maria Inês
Estou vendo o dia amanhecer, acordando e lendo as maravilhas deste blog, ouvinso os passarinhos...
beijos
Maria Inês
Tu és a minha inspiradora.